A magia da Ilha do Cardoso

Era dezembro e eu nem sonhava em sair de São Paulo, quando fui convencida a passar uns dias num lugar chamado Ilha do Cardoso. Tudo o que eu sabia era o nome do local, que eu iria acampar, e que era bem natural. Foi o suficiente! Depois disso, voltei lá mais duas vezes. É verdade que eu demorei um pouco para voltar porque não encontrava companhia que gostasse desse tipo de viagem, mas quando encontrei, percebi que cada pessoa que vai para lá se encanta e tem vontade de fazer com que outras se encantem também.

A Ilha do Cardoso, mais precisamente a comunidade do Marujá, é um daqueles lugares que custamos a acreditar que existe. Sem asfalto e sem luz elétrica, com alimentação apenas de gerador em alguns horários e locais (sobretudo a noite), nem sinal de telefone celular. É um lugar para se desligar da loucura da cidade, para descansar e experimentar uma outra rotina.

Engana-se quem, depois de ler esta descrição, imagina um lugar parado, onde não há nada para fazer. A ilha é um grande pedaço de Mata Atlântica com muitas atrações naturais como cachoeiras, piscinas naturais, mangue, muita caminhada e beleza, principalmente. Além da natureza abundante e maravilhosa, olhar o céu estrelado é um espetáculo a parte para quem está acostumado a olhar para o céu da cidade de São Paulo.

Entre os passeios, existe, por exemplo, a Trilha das Piscinas da Lage, indicada pelo guia Trilhas de São Paulo. Este passeio está classificado no guia como uma trilha de nível difícil, porém, com alguma disposição e fôlego é possível realizá-lo. A Trilha das Piscinas da Lage possui 25 quilômetros de extensão (ida e volta) e normalmente é realizada em 8 horas, incluindo uma parada nas piscinas. A pessoa que se dispuser a conhecê-la será recompensada com uma beleza natural imensa e com águas transparentes. Uma maravilha indescritível, e a possibilidade do contato íntimo e especial com a Mata Atlântica.

Para os aventureiros com menos fôlego e disposição, mas com igual interesse pelas belezas naturais, existe a Cachoeira Grande, trilha feita em menos de uma hora, que termina em uma linda cachoeira para nadar à vontade, ou então os passeios para a “vila fantasma”, “pontal do leste”, entre outros

A região foi transformada em parque estadual em 1962, e por isso respeita algumas regras para que haja toda a preservação ambiental e animal. As pousadas são muito simples, algumas casas de moradores adaptadas, mas muito simpáticas e ideais para a estadia no local.

A Ilha do Cardoso fica a apenas 300 Km de São Paulo, perto da divisa com o Paraná, para chegar é preciso ir até a cidade de Cananéia, no extremo sul do Estado e de lá pegar uma escuna ou voadeira até a ilha.

Passar a virada do ano na comunidade do Marujá é realmente uma experiência incrível. Nas duas últimas vezes que estive lá, monitores, caiçaras e turistas tocaram tambores e em um cortejo seguiram até a praia deserta e iluminada pela luz da lua e das lanternas – necessárias para todas as noites -, onde se formou uma grande roda e o Ano Novo chegou enquanto as pessoas dançavam ciranda e maracatu para comemorar.

Podia ainda contar tantas outras coisas daquele lugar, mas para resumi-lo em uma palavra posso afirmar que é mágico. O resto fica a critério de cada visitante…