Viagem à guru Amma

Minha história de amor com a mãe Índia e de meu encontro com Amma, na celebração do Guru Purnima ou Lua cheia do Guru, teve início em 2011. Parece estranho, mas mesmo sendo professora de Yoga, eu nunca havia sentido o desejo de conhecer a Índia, devido aos seus inúmeros contrastes sociais, resultado da imensa miséria que assola o país e seus habitantes. 

Ao mesmo tempo, tinha curiosidade de saber como vive um povo que traz, há milênios, um conhecimento ancestral e a espiritualidade. Esse desejo foi despertado num período de profunda desilusão, em diferentes aspectos de minha vida, e num autoquestionamento sobre o sentido de minha missão, meu propósito de vida na Terra e o que deveria fazer para me encontrar comigo mesmo e com meu ser superior. E esse despertar se deu através de um sonho que tive com uma mulher indiana, de meia idade, toda vestida de branco. Ela se apresentou e me pediu para ir até a Índia visitá-la, para eu estar em sua presença. 

Descobri que a indiana do meu sonho, vestida de branco, era uma Sat Guru que é considerada uma verdadeira mestre espiritual. Ela atingiu o estado de unidade com Deus, a Suprema Consciência ou o Absoluto e, também, é uma grande líder humanitária, com projetos de ajuda social em todos os ramos de ação. Amma dirige, pessoalmente, escolas, hospitais, faculdades, creches, por toda a Índia e fora dela também, além de ajudar milhares de pessoas através de seu darshan — que significa visão — que ela transmite na forma de um abraço.

Tomei a decisão de seguir a voz do meu coração e comprei uma passagem para ir ao seu encontro sem vacilar. Quando dei por mim, estava na Índia, sozinha, no meio do caos, do barulho e do típico trânsito indiano, mas sentia uma firme certeza de que estava fazendo a coisa certa e indo em direção a maior jornada que poderia fazer. Desci no aeroporto de Cochin, a maior cidade do estado de Kerala, no Sudoeste da Índia. Dali, fui de barco para Kollam e depois para uma vila de pescadores chamada Valickavu (que é a vila da Amma), guiada por mensagens de celular de um anjo indiano, um amigo que fiz logo que cheguei no aeroporto de Cochin. 

Sabia que, ao encontrar minha guru indiana, estaria trilhando a jornada para dentro de meu próprio coração, num encontro que iria mudar completamente os rumos de minha vida. Os gurus, na Índia, fazem parte da tradição hindu, cujo conhecimento é transmitido geralmente na relação mestre-discípulo. Os estudantes muitas vezes vivem no Gurukula  (na Casa do Guru) e, assim, recebem o conhecimento transmitido diretamente. Nos Ashan os discípulos acordam às 4 horas para meditar, rezar e fazer oferendas ao fogo. Depois começam a trabalhar e a servir muito! Para ser aceito como guianca de um Guru, temos que ser humildes e aceitar todas as expe-riências da vida como ensinamento.

A mestre espiritual Amma, há mais de 30 anos, viaja pelo mundo inteiro e durante esse período já abraçou mais de 30 milhões de pessoas em todo o planeta. Ela tem um projeto chamado Embracing the World, e já esteve no Brasil em 2007, onde abraçou, em apenas três dias, 15 mil pessoas, num famoso hotel do Rio de Janeiro. 

Os verdadeiros gurus são seres iluminados que vieram com o único intuito de nos ensinar a amar e a servir aos outros como nosso próprio ser, e não estão aqui para realizar milagres ou satisfazer os nossos desejos egoístas, mas para despertar a nossa verdadeira natureza inata de amor e compaixão, que é o verdadeiro Amor Universal para com todos os seres, sejam eles plantas, vegetais, animais, enfim, todo ser qu habita na Terra.

Os gurus estão na Terra para servir ao mundo e nos dar exemplos. Diferentemente do que se diz por aí, os verdadeiros gurus são ainda necessários neste momento da humanidade, pois, eles nos ensinam, não com palavras, mas através do exemplo de suas vidas. Foi isso o que aprendi, na distante mãe Índia, através de minha guru, cujo nome espiritual é Mata Amritanandamayi ou a Mãe da Eterna Felicidade. 

Minha última viagem para o Asham de Amma foi em março deste ano. Fui cheia de desejo para que todos possam vivenciar essa benção de encontrar o seu guru e ter a permissão de estar em sua amorosa presença. 

Termino minha viagem com uma frase de Amma, desejando que todos os seres possam ser felizes e alcancem felicidade e paz: “O amor despertado pela maternidade é um amor e uma compaixão sentidos não só pelo seu próprio filho, mas por todas as pessoas, animais, plantas, pedras, rios- é o amor aberto a toda a natureza, a todos os seres. Qualquer um, mulher ou homem, que tenha coragem para superar as limitações da mente, consegue atingir esse estado de maternidade universal”.

1 comentário em “Viagem à guru Amma

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.