No coração de Minas

Cidade de raízes barrocas e influências modernistas, Belo Horizonte foi batizada em 1897. Seu charme começa com as maravilhosas montanhas ao seu redor, uma vista que foi preservada. Considerada a terceira maior metrópole brasileira, transita entre o urbano e o suburbano, entre o antigo e o moderno, entre florestas e pistas velozes, tão atentas quanto tímidas, bem ao estilo desconfiado desse povo de “uais”, decifrado em pouca fala, mas com uma simpatia para lá de irreverente. Carinhosamente chamada de Belô ou Beagá, a cidade oferece muitos atrativos culturais, paisagísticos, gastronômicos e turísticos.

Em Beagá alguns pontos turísticos e monumentos históricos são lugares obrigatórios.

No Complexo da Lagoa da Pampulha, um grande lago artificial com belas e modernas residências, há um conjunto arquitetônico de importantes obras: a Capela de São Francisco de Assis, que fica à beira do lago, projetada por Oscar Niemeyer e decorada com pinturas de Candido Portinari e com seus jardins assinado pelo paisagista Roberto Burle Marx. Também os estádios Mineirão e Mineirinho, a Casa do Baile, o Museu de Arte da Pampulha (MAP), o Parque Ecológico da Pampulha, o Jardim Botânico de Belo Horizonte e o Jardim Zoológico da cidade, são paradas obrigatórias.

 A Praça da Liberdade é um dos locais mais agradáveis da cidade e de onde é possível observar um interessante conjunto arquitetônico. Subindo a avenida Afonso Pena, encontra-se o Mangabeiras, um dos bairros mais nobres de Belo Horizonte. Entre as grandes mansões e a serra do Curral, está a Praça do Papa, um dos melhores locais para se avistar toda a cidade. Há também a rua do Amendoim, que devido a uma ilusão de óptica, parece fazer os carros andarem contra o sentido da gravidade. Ao descer a avenida Afonso Pena você encontrará a feira hippie, local onde milhares de turistas visitam aos domingos para fazerem compras nas mais variadas barracas. Lá são vendidas roupas e artesanato, em um amplo espaço com cerca de 2 quilômetros que é fechada para os carros no domingo – aproveite, os mineiros têm fama de grandes artistas!

No centro de Belo Horizonte está o Mercado Central, ponto de comércio e grande atração turística. Tanta diversidade de produtos fez do Mercado Central um centro popular da cultura mineira, onde há o convívio de todas as classes sociais que o tornam ainda mais interessante.

Tudo bem que a cidade tenha um tempero cultural saboroso, mas o verdadeiro tempero de Belô está na panela de pedra sabão, que lhe espera com os pratos mais tentadores. As delícias da cozinha mineira estão espalhadas em ótimos restaurantes.

Nós mineiros temos fama de quietos, mas a realidade não é bem essa. Belo Horizonte se orgulha de ser a capital nacional dos bares e é uma cidade de tradição boêmia. A Praça Savassi é um dos pontos de encontro da juventude, repleta de bares, cafeterias e boates da moda. Mary in Hell, A Obra, Café Cancun, Pop Rock Café, Chevrolet Hall, Josefine/Joy, Café com Letras e o bar Albano’s são alguns lugares que, com certeza, você não poderá deixar de visitar.

Belo Horizonte é sempre uma agradável surpresa para quem a visita. Com um pouco mais de tempo, além de conhecer a cidade, é possível passar o dia em diversos outros destinos como o Parque Natural do Caraça, o Parque Nacional da Serra do Cipó, a Serra da Piedade, as cidades históricas de Itabirito, Ouro Preto, Mariana, Tiradentes, São João Del Rei, Congonhas. E conhecer as grutas das redondezas. A Gruta Rei do Mato, na cidade de Sete Lagoas (62 quilômetros de BH)tem 998 metros de extensão, dos quais apenas 220 estão abertos ao público. Possui estalactites, estalagmites e cascatas de pedra com brilho de cristal. A gruta é ainda considerada “viva” pelos cientistas, porque continua se formando pela ação da água. Em um dos salões há um lago suspenso chamado Poço dos Desejos. O Salão das Raridades tem esse nome porque aí se encontram colunas idênticas, paralelas, formadas de cristais de calcita, com diâmetro de 30 centímetros e mais de 20 metros de altura. Até hoje, formações desse tipo só foram encontradas na Gruta de Altamira, na Espanha. Na cidade de Cordisburgo (130 quilômetros de BH), onde nasceu o escritor João Guimarães Rosa, encontra-se a Gruta de Maquiné com 650 metros de extensão, sendo 440 abertos ao público. Os estalactites formam figuras espetaculares. A Galeria das Fadas é especial na sua delicadeza, com “cristais” brilhantes formando franjas, grinaldas e lustres.E a Gruta da Lapinha supõe-se que tenha sido formada há cerca de 900 milhões de anos. Lá podemos encontrar fósseis de animais pré-históricos, como o tigre dente-de-sabre e o tatu-gigante.

Lugares fantásticos que podem ser explorados a partir de Belo Horizonte. Basta fazer dela o seu próximo destino!