Muitos passeios em Vancouver

A cidade de Vancouver é a área metropolitana mais extensa do Oeste do Canadá, da Columbia Britânica, e ocupa a posição de terceira maior cidade do país, com 583 mil habitantes.

Meu voo de Nova York para a cidade canadense estava previsto para as 16 horas, mas foi cancelado. Por isso, mudamos de companhia aérea, para uma asiática, e embarcamos no dia seguinte para o Canadá. Cheguei em Vancouver de madrugada e o translado que nos aguardaria, por causa do atraso, já não se encontrava lá. Para resolver o problema, tivemos que alugar três limusines para levar todo o grupo até o hotel: eu, meu pai e os amigos dele. O motivo da viagem foi para meu pai participar de um campeonato de futebol, o que na verdade foi apenas uma das razões para minha viagem.

Ficamos hospedados em um hotel muito bem localizado, chamado Fairmont. Em frente ao hotel está a Galeria de Arte de Vancouver (Vancouver Art Gallery), em que uma das atrações era a exposição “Anatomia humana – Leonardo Da Vinci”, com uma mostra de algumas das páginas do caderno original do artista, onde ele registrou seus estudos sobre a anatomia humana.

A cidade ainda estava toda decorada por causa das Olimpíadas de Inverno, que acabaram recentemente. Por conta de o país estar no início da Primavera, as ruas estavam totalmente floridas, e muito bem cuidadas. Aliás, a limpeza de Vancouver é impressionante: por onde se olha não se vê sujeira pelas calçadas. Quase não há moradores de rua, acho que é pelas baixas temperaturas que se concentram no local, além, claro, de não haver desigualdade social como em países do chamado 3.o Mundo.

No dia seguinte fomos de carro até o píer, que ficava a quatro quarteirões do hotel. Andamos em uma balsa semelhante a um navio, com quatro andares, só de garagem, que carrega até caminhões. Passamos por algumas ilhas até chegar a Ilha Vitória, nona maior do mundo, com aproximadamente 218 mil km² de área. É onde está situado o palácio que hospeda a rainha da Inglaterra, um lugar muito e bonito e bem cuidado. Fomos bem recebidos na ilha e ficamos por lá até a noite. A propósito, os canadenses, em geral, são muito receptivos.

Nossa primeira partida de futebol foi realizada na Ilha Vitória, contra uma colônia de portugueses que moram no local e, inclusive, adoram o Brasil. Embora tenhamos ganhado o jogo, a comemoração foi um churrasco com o time adversário, logo depois do final da partida. Só no final do dia voltamos para Vancouver. No dia seguinte, fomos para Whistler, outra cidade que também sediou as Olimpíadas de Inverno, a 125 km do Norte de Vancouver, ao Sul das montanhas costeiras.

Para mim foi um passeio muito especial, pois foi a primeira vez que tive contato com a neve, e eu não poderia deixar de esquiar. Aluguei um snowboarding e subi a montanha, junto com um amigo que já esquiava havia mais de seis meses. A sensação de esquiar pela primeira vez é emocionante. A dificuldade no início foi muito grande, mal conseguia manter o equilíbrio! Conforme fui tendo a noção do atrito entre a prancha e a neve, peguei prática, mas, claro, antes é importante, para quem nunca esquiou, realizar o treinamento. A sensação é maravilhosa. Depois de esquiarmos e passearmos de teleférico, voltamos para Vancouver ao final do dia.

Nossa segunda partida de futebol aconteceu na Universidade de Vancouver, onde também ganhamos o jogo.

A segurança de Vancouver é um dos fatores que mais me impressionou, porque as pessoas não se preocupam com casos de roubos ou sequestros, já que o número de ocorrências como essas é praticamente nulo. Por isso é comum para os canadenses deixar as portas dos carros, e até mesmo de suas residências, abertas.

Eu percebi que, mesmo durante a noite, as pessoas andam tranquilamente por clubes, danceterias, restaurantes e, também, têm o costume de fazer caminhadas nesses horários. Existem guardas circulando pelas ruas, principalmente de bicicleta, mas em número bem reduzido. Acho que essa profissão, no Canadá, é uma das mais tranquilas do mundo. Em nenhum momento vi algum elemento suspeito que pudesse me chamar a atenção.

Saindo de Vancouver ainda aproveitei a viagem para conhecer Las Vegas e Los Angeles. Ambas as cidades possuem uma vida noturna muito agitada, principalmente Las Vegas com seus numerosos cassinos. No entanto, em questões de segurança e limpeza, as duas regiões não conseguem se igualar com a eficiência de Vancouver, que, além de ser uma cidade linda, segura e limpa, também oferece um elevado nível de conforto e tranquilidade, ao contrário da agitação de Los Angeles e Las Vegas. Acho que esse é um dos motivos que contribuem muito para dificultar a retirada do visto canadense.

Dentre todos os lugares por que passei, Vancouver foi o mais inesquecível, não só por suas belezas naturais, mas porque foi ali pertinho, que tive a emoção de ver a neve e esquiar pela primeira vez!