Freneticamente Encantador

A maior cidade do Canadá e quinta maior da América do Norte, Toronto é a capital da província de Ontário e o motor da economia canadense. Situa-se às margens norte do Lago Ontário e possui aproximadamente 2,6 milhões de habitantes, sendo 5,2 milhões se considerada sua região metropolitana. É a cidade onde se econtra maior diversidade cultural e étnica do mundo – título concedido pela Organização das Nações Unidas por exatas cinco vezes.

Minha experiência em Toronto teve inicio há pouco mais de um ano, quando decidi morar e estudar fora do país. O semestre em que fiquei por lá foi, sem dúvidas, o melhor que já tive. Primeiro de abril, início da primavera local, mas mesmo assim não me livrei do frio! -9°C! No inverno as temperaturas chegam na casa dos -20°C! Algo muito curioso é a chamada cidade-subterrânea. Quando extremo inverno, as pessoas praticamente não saem às ruas; circulam debaixo da terra, por túneis que ligam a rede de metrô a shoppings também subterrâneos e aos principais prédios e escritórios.

A primeira coisa que fiz depois de acomodar as coisas em casa foi ir à estação de metrô mais próxima e pedir informações sobre o lugar. Lá pude comprar o utilissímo Metropass – com o qual se pode viajar de metrô, ônibus e streetcar (algo como os bondes) durante um mês inteiro, ilimitadamente. Aliás, o sistema de transporte público é de causar inveja! A malha metroviária abrange, de fato, a cidade por completa, os ônibus são modernos e confortáveis, os bondes – por assim dizer – são uma atração à parte! Alguns feitos de madeira e outros de aço, circulam em meio aos carros e funcionam 24 horas por dia. Mas para os que preferem não comprar o passe único, a TTC (Comissão de Transito de Toronto) disponibiliza um serviço pelo qual é possível tomar os três tipos de tranposrte pagando-se apenas uma passagem.

Chegando ao centro da cidade, foi impossível não ficar impressinado pela imponente CN Tower, a maior estrutura livre (não sustentada por cabos e em terra firme) do mundo! Além de ser uma das principais atrações turísticas – onde passeamos sobre o glassflor (chão de vidro) a exatos 533 metros e 33 centímetros do solo – a torre serve como referência: uma vez localizada, sabe-se onde é o metrô e assim por diante. Apenas para constar, CN é abreviação de Canadian National, sendo assim, temos Canadian National Tower.

Os cidadãos são de extrema simpatia e educação – indo contra o esteriótipo de que moradores do hemisfério norte são rudes e pouco cordiais. Sempre dispostos a ajudar e com um sorriso no rosto, os torontianos foram eleitos como a segunda população mais receptiva em termos turísticos.

Para os jovens, digo que a vida noturna é uma excelente pedida! Regada com inúmeros shows, desde jazz até heavy-metal, casas noturnas – para os baladeiros de plantão – exposições de artes mil, restaurantes, bares (os famosos pubs) – só fica em casa quem quer! Para os que apreciam um bom jantar romântico, devem ir ao Harbour Front – é o cais de Toronto, onde existem barcos-restaurantes com vista para as ilhas logo em frente.

Àqueles que são viciados em esportes, Toronto oferece um prato cheio! Para começar, recomendo o Hockey Hall of Fame – museu do hockey. Esporte mais popular do país, o hockey sobre gelo exerce fascínio sobre os canadenses. O principal time da cidade, o Toronto Maple Leafs, disputa a liga norte-americana (NHL). Outro famoso time, de basquete, é o Toronto Raptors que joga na NBA – apesar dele não ir bem das pernas, atrai centenas de tocedores aos jogos. Vale a pena! Já o Toronto Blue Jays, time de baseball que disputa a MLB, joga no Skydome – um estádio que possui teto retratíl e fica bem ao lado da já citada CN Tower.

Como niguém é igual e os curiosos estão sempre por perto, existem dois bairros bem alternativos na cidade. São eles Chinatown, onde compra-se de tudo…eu disse TUDO, e Kensington, onde encontra-se todo tipo de produto natural e orgânico ao som de um bom reggae.

A Casa Loma foi a antiga residência do financista Sir Henry Mill Pellatt e, atualmente, é uma atração turística. A mansão tem aparência de um castelo europeu. Os jardins são de tirar o fôlego! Algumas partes do filme X-Men, e de vários outros, foram filmadas em seu interior.

Um pouco fora do eixo central de Toronto – nada que o transporte público não resolva – está o Paramount Canada’s Wonderland. Maior parque temático do país, tido como a Disneilândia canadense. Tem o tamanho de aproximadamente seis vezes o Hopi-Hari do interior de São Paulo e é famoso por suas 14 montanhas-russas, além de contar com shows, parque aquático e vila medieval. Já Niagra Falls, as Cataratas do Niagra, que são a fronteira entre Canadá e Estados Unidos, estão aproximadamente há 6 horas de viagem. O esforço é recompensado! O passeio de barco é deslumbrante.

Uma Nova Iorque governada por suíços, Toronto é assim: cosmopolita, interativa, fascinante!