Clube Vermelho e Branco

Resgatar a história do Esporte Clube Vila Mariana foi uma grata surpresa que trouxe à tona preciosidades: uma história repleta de registros de uma época em que a sociedade da Vila Mariana vivia com glamour e intensa vida social

Poucos moradores do bairro conhecem o Esporte Clube Vila Mariana. Localizado em uma área construída de 2.149m2 , em meio ao descaso do que se tornou a rua Domingos de Moraes, guarda a rica história de uma grande família: descendentes de italianos que aqui chegaram no final do século 19. Sua história teve início em 1908, com os times de várzea espalhados pelos campos das ruas Humberto I, França Pinto, Áurea e Major Maragliano – este último, de acordo com as memórias de antigos moradores, o primeiro campo do Palestra Itália (hoje, Palmeiras). Os jogadores das ruas vizinhas, em sua maioria “rapazes de 15, 16, 17 anos”, incentivaram a comunidade a fundar, em 1914, o Clube

Humberto I e assim, incorporados em um só time, oficializaram o clube de futebol da Vila Mariana. Com sede social à rua França Pinto, nº 32 – onde hoje é a loja de instrumento musicais Vitale – sobrenomes como Nastari, Rossi, Sabatino, Perrone, Gallucci, de Mauro, entre outros, começaram a participar dos campeonatos paulistas, conquistando inúmeros troféus e ampliando a torcida e os sócios do Clube. No Humberto I – nome do monarca italiano repressor, assassinado em 1900 – também eram promovidas festas de casamentos, bailes de carnaval e as jogatinas que varavam a noite. “Minha irmã se casou lá!”, lembra seu Chiquinho, o barbeiro, que freqüentava as festas e recorda dos bailes de Carnaval “sem briga e com muito lança- perfume!”. De 1924 a 1927, a sede permaneceu fechada devido a Revolução e com a 2ª Guerra Mundial, o clube foi obrigado a trocar de nome. No dia 30 de outubro de 1942, foi rebatizado como Esporte Clube Vila Mariana.

A sede própria começou a ser construída na Domingos de Moraes e, em 1945, na gestão do “presidente da esperança”, Humberto Torre Nastari, foi inaugurada em meados de cinquesta, ostentando a bandeira nas cores vermelho e branco. Durante décadas a sede foi palco de campeonatos, concursos, shows, bailes e espetáculos. Os sócios recebiam famosos convidados em uma intensa vida social (fotos). Mas a partir da década de 80, a nova geração, filhos e netos dos fundadores, não se interessou em dar continuidade à tradição.

Atualmente, o Clube oferece aulas de vôlei e futebol, de danças do Ventre e de Salão, locação de quadra e espaço para festas. Os antigos sócios – pouco mais de 80 -, aproveitam principalmente a quadra: “Quando moço não saía daqui, trouxe meus filhos e hoje acompanho meus netos que vêm para jogar vôlei”, conta Walter Rossi, sócio há 52 anos.  Contudo, a nova “presidente esperança”, Neise Siqueira Cavalcante, moradora da rua Capitão Macedo desde que nasceu, pretende mudar esse quadro e cuida pessoalmente de cada detalhe. Quer, aos poucos, revitalizar o complexo: “A idéia é fazer uma reforma estrutural. Para isso, pensamos em promover churrascos com ex-sócios para levantar fundos”, informa. Neise também sonha em resgatar um pouco do glamour de antigamente: “Queremos servir à tarde chá para as senhoras da 3ª idade. Vou me empenhar para que este espaço volte a ser referência à comunidade”, promete. Quem sabe no futuro a vizinhança volte a cantar com entusiasmo o hino do Esporte Clube Vila Mariana, criado em 9 de junho de 1952, por Domingos Antonio e cujo refrão exclama: “Salve o Vila Mariana / Clube de tradições / Que nos campos da luta / Só nos deu satisfação / Nosso presente é uma lista / De invejáveis conquistas / Dos setores esportivo e social / E o Vila Mariana leal e brioso / Possui um futuro grandioso / Pois em tudo é maioral”.

Clube Vila Mariana: Rua Domingos de Moraes, 1768. Tel.: 5571.2000