ATITUDE
- Edição 72 - Mai/2008
Lara Freitas e Paullo Santos

Educação sem Fronteiras: o espírito do Ecobairro

Quando começamos o projeto Ecobairro, inspirado nas experiências das ecovilas, ficamos pensando em como manter esse projeto vivo para as futuras gerações. A resposta foi clara no círculo dos Nucleadores do Projeto: Educação. Foi impressionante. Naquele momento das nossas reuniões, a busca foi de irmos nos princípios das ecovilas, e na mesma época as Nações Unidas criava a Década Internacional de Educação para o Desenvolvimento Sustentável (2005-2014).
Ali ficava clara a necessidade planetária de uma educação sustentável, uma educação que se ocupasse em integrar o ser humano com o uso correto dos recursos renováveis: um desafio para os educadores contemporâneos. Esse pedido vem do fato de que não podemos continuar a educação sem nos ocuparmos com a preservação da vida na Terra. Neste apelo, a Rede Internacional das Ecovilas criou um currículo educacional baseado em suas experiências ao longo de mais de 20 anos: Educação Gaia. Fomos para o lançamento dessa proposta na Ecovila Findhorn, na Escócia, quando ali percebemos a riqueza da proposta que trata de quatro dimensões: Social, Econômica, Ecológica e Visão de Mundo (esta última traz o tempero da transformação do desenvolvimento sustentável: a expansão da consciência e a prática de valores que nos permite uma visão sistêmica e orgânica). Encantados com a proposta, ao chegar ao Brasil apresentamos a idéia à Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cultura de Paz (UMAPAZ), uma iniciativa em Rede da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, que estava acabando de nascer no Parque Ibirapuera, uma sincronicidade indescritível. Esse curso capacitou oitenta pessoas em 2006 e um número semelhante em 2007 e, em 2008, reúne 101 pessoas em capacitação. Dessa iniciativa estão nascendo pessoas que poderão de forma consciente gerar mudanças no eixo urbano, adaptando à nossa realidade. O que mais nos chamou a atenção é que na mesma época nasceram várias iniciativas com objetivos semelhantes: educar para uma vida sustentável e pacífica. De onde vem essa inspiração? Da fonte: A MÃE TERRA. Portanto, a educação sustentável nasce primeiro no coração do planeta e se irradia para todos os seres, sem qualquer fronteira. A palavra "educar" vem do latim "educere", vir de dentro, o que em épocas antropocêntricas imaginamos com a nossa quase eterna arrogância que seria algo que viria de dentro do ser humano. Mas a educação sustentável vem de dentro do coração de Gaia, que significa Terra para os Gregos. Fica uma pergunta: qual será o próximo passo para a educação? Já começamos a vislumbrar uma Educação Cósmica que nasce pela UNIKÓSMICA - Universidade Livre de Educação Cósmica. Durante o dia, o sol brilha para um lado do planeta e, durante a noite, podemos ver as estrelas. Portanto, o Ecobairro é uma estrela na escuridão da vida insustentável da maioria e uma alegria para aqueles que têm a capacidade de enxergar longe através do telescópio do coração.

 

Coordenadores do Ecobairro – www.ecobairro.org.br


Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2019