ATITUDE
- Edição 63 - Jul/2007
Denise Delfim

Ecobairro

Esta história começa com um caminhão de material reciclável, uma comunidade, um projeto. Um caminhão ao passar pela nossa rua desmontou, de forma abrupta, uma antiga guarita de segurança. Surgiu, imediatamente, a necessidade de reconstruí-la.

Esse fato gerou a oportunidade de criarmos uma guarita de segurança ecológica, cuja intenção foi dar uma forma mais sustentável para algo tão insustentável no nosso convívio urbano que é a questão de segurança.

No aspecto ambiental, a proposta foi utilizar materiais construtivos reciclados com baixo impacto ambiental e reaproveitamento de madeira.

Seguindo com nossa intenção, a questão social também foi alvo de experiências interessantes, pois o diálogo sobre a guarita ecológica foi um dos pretextos para conhecermos melhor a comunidade em que chegamos algum tempo atrás.

Essa ação foi iniciada com a reflexão sobre como podemos aproveitar oportunidades que estão ao nosso redor, cotidianamente, e quais são as respostas, diferentes das que estamos acostumados, podem ser dadas.

As pessoas e comunidades podem, a todo o momento, rever e repensar as suas relações com o mundo natural e social.

Expor idéias de cunho sustentável no meio urbano, ainda, é um desafio. Muitos olhares de descrenças, em meio a outros de curiosidade e de fé, surgem. Ao final, o que importa é que a intenção de se fazer uma guarita ecológica está se concretizando e já está erguida no bairro.

Esse processo de construção da guarita trouxe algo significativo - para obter a nossa segurança local passamos pelo diálogo sobre nossa segurança ambiental.

Esse diálogo é mais que importante. Por um tempo, o ambiental foi pauta somente de ecologista e "ecochatos" de plantão. Atualmente, a realidade nos mostra que o assunto deve ser pauta de todos os cidadãos e comunidades urbanas.

Tecnologias ancestrais e modernas estão disponíveis. Materiais, recursos, know-how e profissionais especializados, estão surgindo cada vez mais.

Literaturas especializadas e experiências vivas também já estão ao nosso alcance.

Então, o que falta para que esse processo se amplie e se torne parte do nosso cotidiano?

As experiências das ecovilas dizem que três itens são importantes para a mudança, para a transformação: necessidade (e ela já está aí batendo à nossa porta), ferramentas (amplamente disponíveis) e VONTADE.

Ah! Isso depende de todos nós...

A transformação de nossos lares, edificações e espaço público deve ser nosso objetivo comum através de uma ação mais sustentável - sem se descuidar do convívio social.

Isso nos remete a um repensar as bases de sustentação da vida no Planeta Terra. Repensar, desde os hábitos e as práticas mais elementares do indivíduo de jogar papel no chão, passando pelo consumo, pelas formas de locomoção e indo até a elaboração e execução de políticas públicas e ambientais, pautadas em novas posturas diante do nosso cotidiano.

Nesse sentido o Ecobairro tem se preparado e atuado para irradiar ações mais sustentáveis, a começar pela nossa sede e entorno.

Esperamos estabelecer o diálogo permanente sobre como criarmos caminhos para sustentabilidade no local onde moramos, trabalhamos e circulamos.

Vamos nos mover para um mundo com mais segurança ambiental e local e isso deve ser uma construção conjunta.

Se você quer conhecer nossas ações, entre em contato conosco. Nosso endereço é Casa Urusvati: rua Dr. Luis Azevedo Filho, 38 (próximo ao Metrô Santa Cruz). Tel.: 25787254 www.ecobairro.org.br

 


Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2019