EM TEMPO
06/10/2019 - Edição 197 - Out/2019

Mérito do Walter Taverna
A Feira do Bem convidou o Pedaço da Vila para realizar uma festa em comemoração aos 124 anos da Vila Mariana. E foi a grande oportunidade para homenagear nosso primeiro ministro da República da Vila Mariana! No dia 3 de setembro de 1895, o presidente do Estado de São Paulo, Bernardino de Campos, promulgou a lei no 370 que reconheceu o Distrito da Vila Mariana. E, para a data não passar em branco, o Pedaço da Vila foi convidado por Erika Fritschy Atie e Ernest Saraiva Petty, da Feira do Bem, para comemorar a data.
 
O espaço escolhido foi a Praça Santíssimo Sacramento, que durante os dias 7 e 8 de setembro foi palco de shows, oficinas para crianças e adultos, uma feira de produtos autorais, Praça de Alimentação. E uma exposição de fotos antigas, realizada em parceria com a página do Facebook Vila Mariana Amo Você, especialmente para a comemoração.
Na primeira festa de aniversário da Vila Mariana foi reservada uma homenagem, mais do que merecida, feita pelo subprefeito VM, Fabrício Cobra Arbex, a Walter Taverna (85), primeiro-ministro da República de Vila Mariana. “Pelo bem que tem feito pela Vila Mariana”.  
A República de Vila Mariana foi criada por ele em 2000, no Instituto Biológico. Para tanto, foram convidados os moradores notáveis da região para ocupar o ministério — seu Chiquinho Villano, o barbeiro, era o ministro do trabalho. A bandeira, “pois uma república merece uma”, veio por meio de um concurso entre alunos de várias escolas. A vencedora foi Gabriela Alves, então com 12 anos.
Em entrevista ao jornal Pedaço da Vila, em 2002, nosso primeiro ministro disse que seu objetivo era divulgar à comunidade — “de classe média privilegiada” — a importância da Vila Mariana na história da cidade de São Paulo, para transformá-la futuramente num bairro turístico. “Nossa bandeira está hasteada no Instituto Biológico”, diz, exaltando os patrimônios arquitetônicos e culturais da região.
Walter Taverna é o responsável por grandes conquistas nos bairros do Bixiga e Vila Mariana. Em 2002, para incitar o tombamento do Instituto Biológico, promoveu um grande abraço dos moradores em torno do prédio da instituição. Três dias depois, o IB foi tombado. 
Numa jogada de mestre, em 2004, promoveu outro abraço, agora na Casa Modernista, projetada pelo arquiteto Gregory Warchavchic, que, tombada desde 1984, permanecia fechada há 10 anos, esquecida pelo Poder Público. Chamou a imprensa para cobrir o abraço e solicitou a então secretária de cultura do estado, Cláudia Costin, que o parque fosse devolvido à comunidade. Isso bastou para, em menos de um mês, o Parque Modernista ser aberto ao público com a promessa de ser restaurado.
Durante todos estes anos sempre lutou por outro restauro, o do Instituto Biológico. Em uma Audiência Pública com o então governador,  escutou de Geraldo Alckmin que os recursos tinham saído — fato que, infelizmente, não se concretizou. 
Walter Taverna é um cidadão que já recebeu inúmeras e merecidas condecorações em todas as esferas: federal, estadual e municipal.  Agita seu bairro Natal, o Bixiga, onde tem duas cantinas — é dele, por exemplo, a organização do maior bolo do mundo, no aniversário da cidade. 
Na Vila Mariana mora há 42 anos, e, sempre que pode, apoia festas, promove homenagens e busca preservar a memória e as tradições da região. Seu Walter, como é chamado, é uma personalidade da cidade e  foi o escolhido a ser o primeiro homenageado na primeira festa de aniversário da Vila Mariana — que promete entrar para a efeméride da cidade!
As realizações de seu Walter, entre elas, a República que ele ‘fundou’, já faz parte das tradições vilamarianenses: no samba-enredo de 2020, o bloco Doentes da Sapucaí, que desfila na Rua Marselhesa, diz no refrão: “No Matadouro, do Sapateiro / Subindo o morro pra estrada da Vergueiro / Nascia a jóia paulistana / Tem festa na República de Vila Mariana!”
 

Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2019