ENTREVISTA
16/11/2018 - Edição 188 - Nov/2018

Entrevista: A produtora Suzy Scherb
Em agosto deste ano, a produtora cultural Suzy Scherb abriu as portas do anfiteatro da ESPM à comunidade. Por meio de uma programação multicultural que reúne de apresentações musicais à prática de yoga, de palestras shows à cinema, ela quer conectar instituições, moradores e artistas do bairro. Na conversa a seguir, Suzy apresenta o novo espaço cultural do pedaço, explica o modelo de gestão que intercala artistas consagrados e novatos e destaca: “Há um potencial artístico enorme na Vila Mariana”
 
Pedaço da Vila: Qual a sua formação?
Suzy Scherb: Eu me formei em propaganda na ESPM e, na minha trajetória de trinta anos, sempre trabalhei nesses bastidores do marketing e comunicação; em pesquisa de mercado e no museu da propaganda. Trabalhei no jornal Meio & Mensagem. Depois, por 10 anos na área promocional da Credicard, fazendo eventos e atendendo a área comercial. Sempre trabalhei com gente. Isso me encanta. Depois, passei pela luthieria do meu irmão e isso me abriu as portas do show business. Após trabalhar com o Pedro Mariano, participei do projeto da Race TV. Minha trajetória é baseada em valorizar e promover arte, educação e cidadania tanto nos eventos, como em promoções, projetos culturais etc.
 
Pedaço da Vila: Em 2013 você fundou a agência Kissus. Qual é a área de atuação?
Suzy Scherb: A Kissus realiza projetos e ações com foco em eventos, educação, cultura,  conteúdo, curadoria e direção artística. Cuida de todo o processo do projeto, do planejamento ao atendimento, da organização à direção de palco. Por meio de recursos tecnológicos e economia colaborativa, a Kissus é uma agência que promove ações transformadoras e boas experiências, unindo entretenimento e cultura. 
 
Pedaço da Vila: Como surgiu a ideia de abrir esse espaço à comunidade por meio de uma programação cultural?
Suzy Scherb: O meu pai, Otto Scherb, foi um dos fundadores da ESPM. Eu estudei na ESPM e, depois de formada, sempre tive uma parceria com a instituição. A partir de eventos culturais que realizei no auditório da faculdade, pensei: será que não podemos abrir esse espaço aos finais de semana para atividades culturais e educacionais para a comunidade? Até então ele era usado pelos alunos e para eventos corporativos dentro do contexto acadêmico. Eu desenvolvi um breve projeto e ele foi acolhido pela ESPM. Fizemos algumas adaptações no espaço, melhoramos o som e a iluminação e ele foi inaugurado ao público externo em agosto passado com um show de Pedro Mariano.
 
Pedaço da Vila: Quem fará a gestão do espaço cultural?
Suzy Scherb: A minha proposta de trabalho foi ao encontro da proposta do presidente da ESPM, Dalton Pastore. A educação e a cultura estão no centro da missão da instituição e são trabalhadas de maneira colaborativa, dentro de uma proposta de economia criativa. A ESPM cedeu o espaço com uma condição: eu faço a gestão dele e parte da renda obtida pela bilheteria é destinada ao fundo de bolsas de estudo. Esse fundo financia alunos de alto rendimento que não têm condições de financiar o estudo na instituição.
 
Pedaço da Vila: Essa gestão será de que maneira?
Suzy Scherb: Dentro da proposta de economia criativa, estamos criando uma rede de parcerias. Fizemos uma parceria com a bilheteria Express para a venda de ingressos numa plataforma online; uma parceria com o estacionamento autovagas, que pertence a um ex-aluno da ESPM; com outro grupo que nos cedeu os balcões da bilheteria e outras mobílias; e uma parceria com o jornal Pedaço da Vila para nos aproximar da comunidade... Ainda estamos no começo e já estamos formando uma cadeia colaborativa. A minha ideia também será criar um crowfunding para financiar o espaço.
 
Pedaço da Vila: Como pensou esse crowfunding?
Suzy Scherb: A proposta é criar um clube de assinantes da programação do espaço cultural ESPM. Seria num modelo de Sesc da vida. Desta forma, os artistas teriam um cachê básico. Hoje estamos trabalhando apenas com a bilheteria. É no risco. Desse jeito é inviável, pois não é todo artista que topa. No momento, 60% da bilheteria vai para o artista e 40% para cobrir o restante da estrutura, mais o fundo de bolsas. O crowfunding bancaria a operação do espaço, o cachê dos artistas, a divulgação. Por enquanto, eu estou pagando do meu bolso muita coisa.
 
Pedaço da Vila: E qual o valor mensal para manter o espaço?
Suzy Scherb: Se eu tiver dois finais de semana por mês de espetáculos, o que seria ótimo, eu precisaria, pelos cálculos iniciais, de uns 45 a 50 mil reais. Isso para criar um site, fazer a divulgação, pagar os técnicos, limpeza, segurança, camarim...
 
Pedaço da Vila: Os espetáculos serão realizados somente aos finais de semana?
Suzy Scherb: Sim. A ESPM tem prioridade no uso do espaço, pois os alunos usam ele. A minha ideia é mesclar artistas consagrados e novatos. Estamos abertos às sugestões. A curadoria do espaço não é fechada. O meu desejo é fomentar o circuito artístico do bairro, abrindo espaços para os artistas daqui, revelar novos talentos. O artista tem muita dificuldade para encontrar um palco bacana para se apresentar. E dar essa oportunidade aqui é uma grande satisfação.
 
Pedaço da Vila: Como será feita a seleção de artistas do bairro?
Suzy Scherb: É só me mandar um e-mail com o material para eu conhecer. O espaço está aberto. É importante saber que não sou eu quem cuida do calendário do espaço, é a ESPM. Ela o define de acordo com a programação dela no espaço para os seus alunos, seus eventos... Agora, é só em 2019. No dia 18 deste mês teremos uma experiência de aula de yoga. Nesses primeiros meses do espaço, tivemos a honra de ter dois artistas do bairro consagrados, o Marcus Santurys e o Osmar Barutti, que se apresentaram em comemoração ao Dia Internacional da Paz.
 
Pedaço da Vila: Qual é a sua avaliação desses primeiros meses?
Suzy Scherb: Está sendo muito bom. As pessoas estão adorando a ideia de ter um novo palco de cultura no bairro. A maioria do público com quem conversei não sabia que ele tinha sido inaugurado. Nesses meses fomos muito bem acolhidos por um público bastante diversificado. E é essa diversidade que queremos para esse espaço, com programação para todas as idades, com shows musicais, peças de teatro, palestras... Enfim, a proposta é torna-lo um espaço de troca de conteúdo dentro do tripé que sempre sustentou meus trabalhos: arte, educação e cidadania.
 
Pedaço da Vila: A apresentação do espetáculo Ópera na Vila fez um sucesso. Como nasceu essa proposta?
Suzy Scherb: O público adorou. O nome Ópera na Vila foi inspirado no bairro, a partir do trabalho precioso realizado pelo casal Ulisses Montoni, tenor, e Marli Montoni, soprano. Eles sempre se apresentam no Teatro Municipal e no teatro São Pedro e têm uma proposta de popularizar a ópera, levando-a para outros espaços. A apresentação deles foi tão emocionante que o meu desejo é repetir no ano que vem.  
 
Pedaço da Vila: Qual seu olhar sobre o bairro no aspecto cultural?
Suzy Scherb: Há um potencial artístico enorme na Vila Mariana. O público daqui é muito top. A Vila Mariana e a Vila Madalena são os dois polos artísticos e culturais que têm muito a se explorar ainda, tem um público que é diferenciado e que gosta muito de cultura. Tem muito o que crescer e artistas para revelar. Vejo com muito ânimo. É muito importante essa aproximação entre moradores, instituições, artistas... Tanto a ESPM quanto a Belas Artes possuem programações importantes, fomentam a arte, falam de comunicação e estão no coração do bairro. A minha proposta é fortalecer cada vez mais essa conexão, com os centros educacionais, artistas, moradores e jornal Pedaço da Vila, engajado na busca por melhorias e na preservação da história do bairro.   

Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2019