UMAS E OUTRAS
16/11/2018 - Edição 188 - Nov/2018
Zaqueu Fogaça

Sob o olhar de Lasar Segall

Embora a produção de desenhos de Lasar Segall seja grandiosa — são mais de 2400 obras no acervo do museu Lasar Segall — ela permanece desconhecida do público. O motivo é simples: desde a última vez que foram penduradas nas paredes do museu já se passou mais de uma década.

Hoje, o público tem uma nova oportunidade de ficar frente a frente com os traços do artista na exposição O Desenho de Lasar Segall. Ela reúne mais de 50 obras que compreendem cinco décadas de produção de Lasar Segall. “A maioria desses trabalhos é como se fosse inédita, pois não é exposta há muitos anos”, avisa o diretor do museu e curador da mostra Giancarlo Hannud.  
 
Para Hannud, essa é uma chance para conhecer de maneira mais profunda a virtuosa técnica de Lasar Segall. “As obras são distintas, grandes e pequenas, e foram concebidas em diferentes países e períodos. O desenho mais antigo é retrato de mulher (1905), feito em Vilna, sua terra natal. As mais recentes são as paisagens de Campos de Jordão (1956)”.
 
O curador afirma que a exposição permite diferentes incursões pela sensibilidade criativa de Segall. “Apesar de ter uma linha cronológica, as obras instigam diferentes abordagens e leituras. O público pode fazer seu próprio percurso, ora pelas diferentes fases do artista, ora pelos temas que mobilizaram o olhar dele”, sugere Hannud.
 
De rabiscos a desenhos acabados, a predileção de Segall em retratar figuras humanas predomina na exposição. “Em poucas linhas, ele expressa o que há de mais profundo na alma humana”, analisa o curador. Em muitos desenhos o artista mira o olhar para o núcleo familiar; assim, registra desde a esposa Jenny lendo no sofá até a morte do pai.
 
A exposição também traz à luz uma série de retratos. Entre eles estão o celebrado perfil do radialista e colecionador de arte Tulio de Lemos (1937), o retrato raro do poeta alemão Iwar von Lücken (1926) e seu autorretrato (1944). “Os olhos das figuras nunca são iguais”, observa o curador.
 
Nas palavras de Hannud, O Desenho de Segall “constitui um roteiro abstrato de sua biografia criativa, em que angústias e preocupações estéticas encontram-se sobrepostas aos acontecimentos e narrativas de sua vida”.
___________________________________________________________
Exposição: O Desenho de Lasar Segall. Quando: até 17 de junho de 2019
Visitação: quarta a segunda, das 11h às 19h. Entrada: gratuita
Rua Berta, 111 - Vila Mariana. Tel,: 2159-0400

Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2018