DICAS E DELÍCIAS
28/09/2018 - Edição 186 - Set/2018
Maria Helena Serrano

Cadernos de receitas

Resolvi escrever sobre os cadernos de receitas que tanto me fascinam... Cadernos de avós, mãe, tias, irmãs e primas! O que me faz refletir sobre o hábito de manter os cadernos de receitas da família! Que podem conter segredos guardados a sete chaves... 

Conversando com minhas amigas, irmãs e primas, chegamos a um consenso de que esses cadernos nos deram as receitas que tanto gostamos de reproduzir e ainda manter a memória afetiva através dos gostos de nossas infâncias. Um caderno de receitas não contém apenas receitas, mas costumes de uma época, formas de fazer, comidas da moda e também uma forma de não perdermos o hábito de cozinhar, mesmo quando a vida moderna nos leva a comprar alimentos prontos, processados, congelados etc... 
 
Minhas avós não tinham o hábito do caderno de receitas, mas nós as registrávamos com informações às vezes bem subjetivas, como um punhado, um tanto assim, ou a seu gosto. Mantinham suas receitas e segredos vivamente em suas memórias. Até hoje quando pergunto para minha mãe, ela pensa um pouco e me passa a receita de cabeça, mantendo as receitas em sua memória depois de tê-las praticado por mais de 70 anos — este mês ela completa 90 anos!
 
Atualmente os cadernos de receita são substituídos pelos registros digitais, ninguém mais tem tempo para parar e escrever as suas receitas... Hoje temos tudo registrado no computador ou no celular! Com imagens e vídeos no YouTube ensinando a fazer esse ou aquele prato! Ficou mais fácil cozinhar?  Talvez...
 
Vale lembrar que quem faz sua própria comida terá escolhas mais saudáveis, autonomia e controle sobre o seu gosto e paladar. Os cadernos de receitas nos trazem ingredientes de uma época que nem sempre poderemos reproduzir igual. Em minha experiência na culinária, nesses 25 anos, meus clientes me contam sobre a memória de uma receita da avó ou da mãe que gostariam de me passar para eu tentar reproduzi-la. Desejo de voltar ao tempo, de sentir novamente aquele gosto. Mas, sempre fica o desejo, pois não é é fácil reproduzir o mesmo sabor.
 
Esse é o segredo: a mão e a energia da pessoa que faz o mesmo prato não ficar idêntico ao do outro... Sempre será diferente! Em homenagem às avós e à minha querida mamãe, que ainda cozinha muito bem, vou dar uma receita de família, um doce que sempre me faz voltar ao tempo da minha infância: pudim de leite condensado imbatível! 
 
Pudim de leite condensado da mamãe!
 
INGREDIENTES: 1 lata de leite condensado; 2 latas (medida do leite condensado) de leite integral; 6 ovos inteiros. Bater esse creme por 5 minutos no liquidificador e reservar.
MODO DE FAZER: Fazer um caramelo com 1 xícara de açúcar em uma panela de fundo grosso. Mexer com uma colher de pau, assim que começar a ficar caramelizado, colocar 1/2 xícara de água, com cuidado para não levantar muita fervura. Mexer dissolvendo o caramelo e derramar por toda a forma do pudim. Usar forma com buraco no meio. Despejar o creme e levar ao fogão em banho Maria, com fogo baixo, tampe bem a forma com papel alumínio. Cozinhar até que o pudim comece a ficar durinho, fazer o teste do dedo. Não leve ao forno, minha mãe faz na boca do fogão. Tem que ficar atenta, por uns 40 minutos, pois a água pode secar e daí tem que colocar mais um pouco! Levar à geladeira e deixar no mínimo por 6 horas antes de ser desenformado. Usar um pirex grande redondo para receber o pudim e a calda de caramelo. Depois de desenformado, esquentar a forma no fogão para soltar um pouco o caramelo e jogar por cima do pudim. Dica: o pudim tem que estar bem gelado para ser desenformado, senão ele pode quebrar.
 
Maria Helena Serrano é chefe de confeitaria desde 1994,  frequentou a École Lenôtre em Paris  e é proprietária da Quinto Pecado Café Bistrô: Rua Cel. Artur de Godoi, 12. 
www.quintopecadodoces.com.br mariahelena@qpecado.com

Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2018