UMAS E OUTRAS
14/08/2018 - Edição 185 - Ago/2018
Da Redação

Sem desperdício
A prefeitura de São Paulo irá multar quem lavar a calçada com água tratada ou potável fornecida pela Sabesp.
 
O decreto [58.34] que regulamenta a lei [16.172/2015] que proíbe a prática foi assinado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) e está em vigor desde o dia 28 de julho.
 
Segundo o texto, o munícipe será advertido na primeira infração e multado em R$ 250 na segunda. A cada nova reincidência o valor será dobrado.
 
O uso de água tratada ou potável para lavar a calçada será permitido apenas em situações excepcionais como alagamentos, derrama-mento de terra e de líquidos gordurosos por terceiros ou ainda quando não for realizada a limpeza ao fim das feiras livres.
 
A medida ocorre em função dos baixos níveis dos reservatórios que abastecem a cidade. O principal deles, o Cantareira, entrou em estado de alerta e hoje opera com menos de 40% de sua capacidade.
 
A orientação da prefeitura é a de que a limpeza da calçada seja feita por meio de varrição, aspiração ou água de reuso, de poço ou de chuva, desde que as suas origens sejam comprovadas. No caso de reuso, as tubulações e tanques devem ser pintados na cor padronizada, púrpura.
 
De acordo com o decreto, a fiscalização e a aplicação das multas serão de responsabilidade das prefeituras regionais. No bairro são 16 agentes vistores, diz a PRVM.

Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2018