UMAS E OUTRAS
02/07/2018 - Edição 183 - Mai/2018
Da Redação

Sob nova direção

A Cinemateca Brasileira, responsável pelo maior acervo audiovisual da América Latina — são 250 mil obras —, tem uma nova diretora. Trata-se da jornalista Cristina Ikonomidis.

Ex-chefe de comunicação da secretaria estadual de cultura, Cristina foi nomeada ao cargo pela Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp), atual gestora da Cinemateca.
 
Sem experiência na área, a jornalista assumiu o lugar da cineasta Olga Futtema, que permaneceu à frente da Cinemateca nos últimos três anos, desde que o diretor Carlos Magalhães foi afastado, no início de 2013, pela ministra da cultura, Martha Suplicy. 
 
Desde então, a Cinemateca Brasileira enfrenta a maior crise de sua história. O quadro de funcionários foi cortado pela metade, os recursos foram congelados e atividades foram suspensas.
 
Para piorar a situação, um incêndio na câmara 3, em fevereiro de 2016, destruiu 500 títulos produzidos nas décadas de 1930 e 1940, em sua maioria cinejornais e peças publicitárias.
 
Nos últimos cinco anos, o corte de funcionários passou a ser frequente. Em julho de 2016, profissionais de setor audiovisual e artistas publicaram um manifesto criticando o ‘desmonte da instituição’.
 
Entre os desafios da nova diretora será continuar o processo de retomada da Cinemateca, que teve início na gestão Olga Futtema, e aproximar a instituição da comunidade.

Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2018