UMAS E OUTRAS
14/03/2018 - Edição 180 - Mar/2018
Zaqueu Fogaça

Páginas Abertas

É ainda com certa timidez que as pessoas se aproximam da biblioteca comunitária Livro Livre, recém-inaugurada na Rua Dr. Álvaro Alvim, 123. Mas, tão logo elas percebem que não há portão, catraca, segurança e tampouco a necessidade de fazer cadastro para retirar os livros, rapidamente se sentem à vontade e, agora com um deslumbre no olhar, se aventuram no acervo em busca de suas próximas leituras.

Projetada pela Faculdade ESPM, a Livro Livre disponibiliza ao público de todas as idades o acesso gratuito a 2 mil obras de diferentes áreas, e é a única na cidade que fica aberta 24h. A ideia é simples: todos podem retirar os livros a qualquer hora e também fazer doações. Para doar, basta levar os livros diretamente à estante ou à portaria da ESPM.
 
A única cerimônia que se vê mesmo no local fica por parte dos leitores, que analisam as obras com raro interesse: pegam um livro, leem um trecho, devolvem, puxam outro, guardam-o entre os braços e, instantes depois, trocam novamente. Escolher a próxima leitura diante de tantas opções não é uma tarefa simples para ninguém ali. Ao fim, no entanto, quase todos voltam para casa acompanhados por um ou mais livros e — claro! — com a promessa de voltar. 
 
Os leitores aprovaram a Livro Livre. Aparecida Baron (80), moradora da Rua Humberto I, diz que ficou encantada com a novidade. “Achei maravilhosa!, tem um ótimo acervo. Essa ideia é fantástica e precisa ser espalhada por toda a cidade”. Leitora assídua de romances policiais, a vizinha aproveitou a sua primeira visita ao acervo e saiu com dois livros: Eu Confesso Tudo, de J.M Simmel, e Tela Quente, de J. F. Singer. “O Simmel é ótimo!”, indica ela, e garante que voltará muitas vezes para também doar. “Temos tantos livros em casa que já nem cabem mais na estante. Agora podemos compartilhar essas leituras com outras pessoas”.
 
Já a Maria Pereira, moradora do bairro Paraíso, chegou apressada e carregando uma sacola cheia de livros. “Eu achei a ideia muito interessante, principalmente porque ela é de todos. Hoje eu passei só para doar, mas voltarei com calma para conhecer”, diz. A leitura é sua fiel companheira de cabeceira. “Eu não consigo dormir antes de ler um livro”. E, de partida,  Maria Pereira ensina. “Essa biblioteca é uma ótima oportunidade para compartilharmos as nossas melhores leituras, aqueles livros que foram transformadores em nossas vidas e que gostaríamos que outras pessoas também os lessem”.
 
Quem também se rendeu à biblioteca comunitária foi a jovem estudante Camila Soncini (23), moradora da Aclimação. Apaixonada pelas obras do escritor Stephen King, ela conta que aproveitou a visita que fez aos amigos do pedaço para conhecer a novidade.  “Adorei, não imaginava que existisse algo assim”, anima-se. Camila avisa que, na próxima visita, também voltará com uma sacola de livros para doar.  “Dessa vez eu estou levando Cinquenta Tons Mais Escuros, de E.L. James, e A Grande Visão, de Ben Carson; este último eu vou sugerir para o meu tio ler”.
 
Os principais usuários da biblioteca comunitária Livro Livre ainda são os estudantes, professores e moradores do pedaço. Mas também há leitoras que estão chegando de longe. Uma delas é Flávia Martins Guerra, moradora de Pirassununga, no interior paulista. Ela conta que ficou muito sensibilizada ao saber do projeto e fez questão de separar alguns bons livros para doar. “Eu só vejo aspectos positivos nessa biblioteca e espero que todos aproveitem o seu acervo e ajudem a preservá-lo”, aconselha ela, que escolheu dois títulos para acompanhá-la de volta para casa. 
 
“Eu estou levando um livro para mim, A Princesa Raptada, de Christina Dodd, e outro para a minha mãe, o Pedra Viva, de Josué Montello. Ela está com 92 anos e tem um enorme amor pelos livros; é uma leitora que nos inspira”. 
 
Biblioteca comunitária Livro Livre: Rua Dr. Álvaro Alvim, 123. Aberta 24h e gratuita   

Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2018