ENTREVISTA
14/12/2017 - Edição 178 - Dez/2017
Denise Delfim

Cacá Bloise

Há 2 anos, o músico e publicitário Cacá Bloise, com seus irmãos e o amigo de fé Milton Levy,  decidiu criar uma página no Facebook com o objetivo de unir os moradores. A Vila Mariana Amo Você tornou-se um sucesso e hoje reúne mais de 14 mil membros com ativa participação: são mais de 2.400 fotos, 6 mil postagens, entre elas, bem sucedidas campanhas de utilidade pública. A seguir, ele fala ao Pedaço da Vila como é administrar uma comunidade apaixonada pelo bairro!

 

Pedaço da Vila: Como surgiu a ideia de criar a página Vila Mariana Amo Você no Facebook?
Cacá Bloise: Na verdade, tudo começou quando eu quis fazer uma homenagem ao meu pai, que era comerciante da Vila Mariana. Coloquei, então, um post dele em meu Facebook pessoal e, por incrível que pareça, 700 pessoas curtiram. Achei impressionante! Aí comecei a ver quem eram essas pessoas e elas eram todas da Vila Mariana. Achei uma loucura, pois mostrou que meu pai era um cara querido; ele era um comerciante antigo e todo mundo o conhecia, esteve por 50 anos na Vila Mariana. No ano seguinte, lembrando que havia um grupo interessado, pensei em repetir o post no aniversário dele. Nessa época eu também comecei a entender essa história de Facebook. Resolvemos fazer uma página: eu, Milton Levy, meu irmão de sangue, minhas irmãs e meu irmão. Na hora de botar um nome, como sou vilamarianense roxo e amo a Vila Mariana, falei: ela vai se chamar Vila Mariana Amo Você. Postamos novamente a foto do meu pai e foi o maior sucesso. O nosso objetivo com a página foi juntar as pessoas em torno da ideia de se relacionar, se comunicar, voltar os olhos para as suas raízes, se comungando entre si através do passado e do presente, tendo assim mais amor pelo bairro.
 
Pedaço da Vila: A página ganhou membros rapidamente. Como ela foi divulgada?
Cacá Bloise: Como somos todos daqui: eu, Levy, minhas irmãs, que estudaram no Colégio Cristo Rei, e o meu irmão Nico, que estudou no coleginho (Fabiano Lozano), cada um avisou seus amigos sobre qual era a ideia da página da Vila Mariana, replicando-a para todos. E, no dia seguinte, já havia 500 membros na página, todos nos dando parabéns. Foi um volume absurdo! Em poucos dias foi para 2 mil, 3 mil, a progressão é incrível e, em 30 dias, éramos 4 mil pessoas genuinamente vilamarianenses. A gente conhecia a maioria pelos sobrenomes. Como minha família foi do comércio, falávamos: nossa, esse cara era freguês, esse outro foi nosso amigo... a gente sabia que eram moradores da Vila Mariana. Aí pensamos: mas o quê colocar na página? E tivemos a ideia de começarmos a falar de nós mesmos, o colégio que a gente estudou, postar fotos... A princípio não tínhamos ideia do que colocar! Então postei uma foto minha do colégio, logo depois um outro cara botou uma da família dele... E as pessoas começaram a entender o que era a página, e nós também. Começamos a sugerir posts, como o de pessoas antigas do bairro e os membros começaram a interagir. Hoje página está com 14 mil seguidores, o que é um verdadeiro sucesso!
 
Pedaço da Vila: O que mais surpreendeu você, tanto pelo lado bom como pelo ruim, nesses 2 anos administrando a relação de 14 mil vizinhos?
Cacá Bloise: O lado bom me surpreendeu em muitas coisas. A comunidade da Vila Mariana é uma coisa muito séria, seus moradores são pessoas com espírito comunitário, têm um verdadeiro sentido de vizinhança, de civilidade... Eles ajudam o próximo, protegem-se, cuidam do bairro. Destaco isso como as coisas boas: o pertencimento e a cidadania. Os moradores gostam muito da Vila Mariana e tentam fazer o bairro estar sempre legal. Na verdade, as coisas ruins não são muitas. O que existe em geral é comum na internet: são os comentários, que você pode aceitar ou não. As pessoas são muito francas na internet, pois não se conhecem e todo mundo fala o que quer. Então, às vezes, rola uma agressividade. Para não gerar este tipo de coisa e para poder administrar corretamente decidimos não aceitar nada sobre política e religião, além de não aceitar denúncias explícitas contra moradores. Quando há agressões num comentário do post entre os membros, nós imediatamente tiramos. Com o tempo, criamos um software que não aceita nada que tenha cunho comercial ou político e o comentário na hora é deletado. Por outro lado, posts de melhoria, como poda de árvore, lixo em uma esquina, carros abandonados, etc., são mantidos- é quando a comunidade trabalha; é algo construtivo.
 
Pedaço da Vila: E a relação com os membros ofendidos? Você deve receber muita mensagem inbox...
Cacá Bloise: Via inbox os ofendidos reclamam! O Facebook tem a opção ‘Denuncia’ e todos que não gostam de um post denunciam. Meu software tem que se virar para resolver. Quando passa do limite do software, cai na nossa mão e, nós, os administradores, damos um jeito de fazer a triagem do que pode e do que não pode, sempre com respeito e consciência. Nós costumamos responder todas as mensagens inbox, na medida do possível, porque elas são muitas.
 
Pedaço da Vila: Há uma rotina de postagens pelos administradores da página? 
Cacá Bloise: Fomos aprendendo isso no dia a dia, e, como somos em cinco, cada um tem suas postagens pessoais, com as coisas de que mais gostam. Podemos, por exemplo, passar por uma rua, conhecer um novo comércio, apreciar uma árvore linda, descobrir uma novidade do bairro: uma igreja, uma escola, uma casa antiga, um velho morador... e fotografar e postar. Eu, pessoalmente, sou mais pesquisador, gosto de mostrar a Vila Mariana do passado, colocar datas, números, numa matéria mais específica do que foi o nosso bairro. Tenho o hábito de dia sim, dia não, postar uma matéria, seja ela de que cunho for. Isso para mim é obrigação. Por isso, tenho que pesquisar bastante para falar, por exemplo, de bonde, dos barquinhos no Ibirapuera ou outro assunto antigo. Assim, quem é do bairro, e não tem idade para lembrar, ou quem chegou agora, fica conhecendo. Tenho que falar que eu vi a Avenida 23 de Maio sendo construída, como também a Avenida Ruben Berta, o prédio da IBM... Na minha época, ainda não havia nada disso. Na IBM existia a chácara do português... então, vamos procurar uma foto dessa chácara nos sites, pergunto para todo mundo. E, de repente, alguém fala: meu pai tem a foto da chácara! Peço então para me mandar e surge o post da chácara do português — isso é histórico! Depois, tenho que buscar datas, nomes para poder dizer de quando é essa foto. Esse é o meu negócio dentro da página Vila Mariana Amo Você. Os meus irmãos são mais dos posts atuais. A Maria Inês e a Maria Luiza postam sempre e ajudam muito a administrar a página, seriamente, porque respeitam os membros do grupo e querem que todos mantenham o respeito entre si. O Levy é o nosso diretor social, divertido e irreverente e conhece a Vila Mariana e os membros do grupo como ninguém.
 
Pedaço da Vila: Qual é o perfil dos membros?
Cacá Bloise: Temos informações do Facebook que somos um grupo bem mesclado, há jovens interessados na Vila Mariana e uma classificação mais específica de membros de 35 anos para mais, de classe média. Cerca de 70% com formação superior, um retrato dos moradores da Vila Mariana. Percebemos isso quando postamos uma foto dos anos 60-70 e aparecem as famílias mais tradicionais.
 
Pedaço da Vila: Há postagens de utilidade pública? 
Cacá Bloise: Muitas, principalmente sobre cachorros, pois o vilamarianense ama cachorro! Se por acaso tem uma postagem de um cachorro perdido, você pode ter certeza que em questão de algumas horas ele é achado. Isso tem acontecido muito também com pessoas desaparecidas, com muito sucesso na localização delas. Isso é legal, pois você vê que a comunidade trabalha. Ela se movimenta quando tem alguma coisa acontecendo. Teve um incêndio e todos comentaram sobre isso, querendo ajudar. Acho que, no futuro, gostaria de fazer uma campanha de qualquer coisa para ajudar a comunidade, pois você vê a solicitude. É um grupo grande, 14 mil pessoas. Se não me engano, é maior do que 7 mil cidades do mundo. Isso é um número muito interessante, pois não temos prefeito, não temos vereador, o grupo se gerencia sozinho. Isso é muito legal!
 
Pedaço da Vila: Nesses dois anos trabalhando as memórias da Vila Mariana, você deve ter conseguido materiais maravilhosos...
Cacá Bloise: Realmente, pois você vai pesquisando e vai achando... já usei um monte de informações do Pedaço da Vila, sempre com crédito! Eu pego muitas fotos, tem gente que tem imagens maravilhosas, aí eu vejo quem é o cara e dou o crédito. Já usei fotos de autores desconhecidos; são as mais legais! Há imagens da Vila Itororó, do cafezal do Instituto Biológico, que nem o próprio IB tem em seu acervo... não sei de quem é a foto: uma tomada de dentro de dentro do Parque Ibirapuera, deve ter sido tirada de um avião. Eu fui atrás, pesquisei para ver de quem era e não achei, e postei como autor desconhecido. Tem muita coisa que me mandam. Por exemplo, tem um cara, meu amigo, da página Memorias Paulistanas, e, sempre que ele vê coisas da Vila Mariana, me envia. Como ele é pesquisador já me manda a história; continuo cruzando com muita gente que pesquisa história e que me envia muita coisa.  Fiz uma postagem apenas com as informações que eu lembrava sobre um rio. Como o Pedaço da Vila já havia feito uma matéria sobre o mesmo assunto, eu peguei suas informações e refiz a minha matéria, colocando o link do jornal.
 
Pedaço da Vila: Você pensa em aproveitar todo esse material do Vila Mariana Amo Você em outro projeto?
Cacá Bloise: Pensei em fazer qualquer coisa virtual, pois sei que daria certo. Pegar todas essas fotos, juntá-las em um outro site ou coisa parecida. Mas acho que isso já está na página do Vila Mariana Amo Você que é virtual — é só pesquisar que vai estar lá. Pensei em fazer uma exposição itinerante dessas fotos em parceria com o Pedaço da Vila, mas, isso para o ano que vem. Mas temos outras ideias: fazer alguns passeios, seja de bicicleta, com a ajuda do vizinho Daniel Moral, que esta sempre disposto a nos ajudar, ou a pé. Passeios que saem, por exemplo, do Instituto Biológico e vai até a Assembleia Legislativa. E um baile no Clube Círculo Militar para reunir os vilamarianenses.

Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2018