UMAS E OUTRAS
28/11/2017 - Edição 177 - Nov/2017
Da Redação

Pendências...

"Quando eu comecei a trabalhar aqui, há onze anos, éramos em 26 funcionários. Hoje somos em apenas sete”, compara a gerente da Praça de Atendimento da prefeitura regional VM, Edula Moura de Paula (63).

O quadro enxuto de funcionário na Praça e a crescente demanda dos usuários é uma conta que não fecha e o impacto é direto nos usuários. Hoje são cerca de 10 mil solicitações que estão paralisadas na prefeitura regional. "São 6 mil processos de fiscalização, 4 mil de aprovação e outros 4 mil de licenciamento".
 
O prefeito regional Benedito Mascarenhas diz que a maioria dessas pendências foi herdada da gestão anterior e que segue trabalhando para dar conta. “Neste primeiro ano conseguimos zerar 4 mil pedidos do período entre 2006 e 2010. Esses 10 mil, que compreendem de 2011 a 2017, irei zerá-los no início de 2018”, promete.
 
Para agravar a situação, cinco das sete funcionárias que trabalham na Praça já são aposentáveis. Benê conta que conversou com elas para aguentarem mais um pouco, pois tem esperança que abra concurso para repôr o quadro, o que não há previsão.
 
Nesse primeiro ano como prefeito regional, Benê diz lamentar não ter conseguido fazer as melhorias que desejava na Praça. “As mudanças que eu queria, como trocar equipamentos e modernizar o espaço, exigem recursos, o que não temos no momento. O que eu fiz foi conversar com todas as funcionárias para melhorar o atendimento”.
 
Gerente da Praça há seis anos, Edula afirma que está na hora de fazer algumas mudanças em sua estrutura. “Há algumas coisas, como a oxigenação da sala, que são urgentes: os usuários reclamam muito. Também precisa instalar um painel eletrônico, pois a maioria dos nossos usuários são idosos e sempre ficam confusos”.
 
Já as funcionárias da Praça de Atendimento estão bastante sobrecarregadas, informa Edula. “No mês passado, por exemplo, duas estavam de férias e foi muito complicado, pois o nosso trabalho exige tempo e cuidado; é muito papel para analisar. Em breve, com a inauguração das duas estações de metrô nas proximidades, o volume de trabalho irá aumentar muito e isso aqui ficará um caos”, teme.
 
Uma mudança na Praça de Atendimento veio em outubro passado por meio de uma Portaria (42/SMPR/2017) assinada pelo ex-secretário-adjunto das prefeituras regionais e ex-prefeito regional da Vila Mariana, Fábio Lepique.
 
Ela reduziu o horário de funcionamento da Praça de Atendimento em uma hora, de segunda a sexta, das 8h às 17h. “Essa nova Portaria apenas padronizou o horário de atendimento das Praças”, diz Benê.
 
Além da mudança no horário, ela também estabelece que o atendimento dos engenheiros, arquitetos e agentes vistores das prefeituras regionais seja efetuado exclusivamente nas Praças de Atendimento, o que não ocorre na da Vila Mariana. “Como temos um espaço para eles aqui e está funcionando muito bem assim, não há a necessidade”, justifica Benê.
 
Por enquanto, a Praça de Atendimento está com o seu futuro indefinido. Benê revela que a prefeitura namora a ideia de transformá-la num Poupatempo. “Vieram aqui, analisaram o espaço, mas, por enquanto, o assunto não teve continuidade. Estamos aguardando alguma definição”.

Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2017