DICAS E DELÍCIAS
29/09/2017 - Edição 175 - Set/2017
Maria Helena Serrano

Chá da tarde

O chá da tarde é sempre um bom motivo para encontrar os amigos ou se reunir com a família para bater papo. O hábito de tomar chá, no Ocidente, começou no século XVI, quando os portugueses, em suas viagens exploratórias ao Oriente, trouxeram, além de seus produtos, os costumes e a cultura das folhas para fazer chás.

A Cerimônia do Chá existe em vários países e povos - Japão, China, Inglaterra, Rússia etc. — cada uma com as características de cada país. A tradição do chá das cinco já existia em terras portuguesas, e, ao se casar com o rei inglês Charles II, Catarina de Bragança, filha de D. João IV, acabou levando o costume para a Inglaterra, que foi adotado pela corte em cerimônias e banquetes.
 
O chá, que era consumido pela realeza desde 1662 na Inglaterra, somente muitos anos depois tornou-se popular graças a uma duquesa notória e esfomeada, que parava para fazer um lanche no meio da tarde. Sua fama instituiu o ritual “Five o´clock tea”, se espalhando por todo o país. E, a partir daí, foram criados os famosos salões de chás, e sua comercialização por toda Europa.
 
Na Rússia, o hábito começou no início do século XVII, quando o Czar Romanov recebeu de presente dos embaixadores chineses várias caixas de chá. Eles utilizam o samovar, um utensílio que serve para armazenar e esquentar a água - em todas as casas russas há um para uso diário. Antigamente utilizava-se carvão para esquentar a água do samovar. E na hora de servi-lo, o utensílio é colocado no centro da mesa com o bule em cima para a preparação de uma infusão forte e concentrada do chá. Cada convidado despeja a quantidade de infusão desejada em sua xícara e adiciona a água quente do samovar. O chá demasiadamente quente tomava-se no pires. Hoje, poucos seguem essa tradição. Quando estive na Rússia, em 1981, visitei plantações do chá preto e trouxe um samovar elétrico, que guardo com muito carinho. 
 
Em cada cultura, os hábitos foram se adaptando e o chá pode ser servido quente ou frio. No Brasil, consome-se muito o chá de erva mate, além do produzido no Vale da Ribeira. No entanto, em nossa cultura, o café está à frente do consumo do chá. Por isso, nesta edição, vou dar uma receita vienense e deliciosa de biscoitos de amêndoas, crocantes que derretem na boca, com um chá, ou cafezinho, fica delicioso!
 
Biscoitos de lascas de amêndoas
 
INGREDIENTES: 180 G de manteiga sem sal, gelada cortada em cubinhos; 200 G de açúcar refinado; 2 colheres de sopa de água gelada; 100 G de amêndoas sem pele e moídas bem finas; 200 G farinha de trigo. 
 
MODO DE PREPARO: Dissolver o açúcar na água gelada, misturar a manteiga, as amêndoas, e por último a farinha de trigo. Não trabalhar muito a massa. Faça uma bola e leve à geladeira por 1 hora. Com a ajuda de uma colher pequena, retirar os pedaços de massa e colocar na assadeira. Levar ao forno quente por 15 minutos. 
 
Maria Helena Serrano é chefe de confeitaria desde 1994,  
frequentou a École Lenôtre em Paris  e é proprietária da 
Quinto Pecado Café Bistrô: Rua Cel. Artur de Godoi, 12. 
www.quintopecadodoces.com.br / mariahelena@qpecado.com

 


Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2018