UMAS E OUTRAS
24/08/2017 - Edição 174 - Ago/2017
Da Redação

De portas abertas

De acordo com o último levantamento feito pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), em fevereiro, o número de pessoas em situação de rua na Vila Mariana aumentou 15% nos últimos três anos. Hoje já são mais de 450 pessoas desabri-gadas pelas ruas, praças, terminais de ônibus e viadutos do bairro. Entres os principais motivos desse agravo estão o desemprego, a ruptura de vínculo familiar, o alcoolismo e a drogas.

Para dar conta dessa demanda, o Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS) da região ganhou um importante reforço no início deste mês. Trata-se do primeiro Centro Temporário de Acolhimento (CTA) para pessoas em situação de rua da Vila Mariana, aberto no número 2.000 da Av. José Maria Whitake. Ele possui 100 vagas para homens e 20 para mulheres.
 
No local os usuários terão acesso a três refeições diárias (café da manhã, almoço e jantar) e receberão atendimentos de uma equipe formada por 23 funcionários, entre eles cozinheiros e socioeducadores. A estrutura abriga banheiros, lavanderia, bagageiro, sala de atividades e de treinamentos, refeitório e ainda três vagas para os usuários que possuem carroças.
 
A administração da unidade será feita pela SMADS em parceria com o Centro de Capacitação para a vida (Projeto Neemias). A sua viabilização contou com a ajuda de empresas privadas, entre elas a Casas Bahia, que doou os eletrodomésticos; a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, que providenciou o mobi-liário; a INAC, que cedeu os computadores; e a Unilever, que ofereceu produtos de higiene.
 
A inauguração do CTA Vila Mariana veio para atender a uma demanda que se arrastava desde a gestão passada, diz o prefeito regional Benedito Mascarenhas. “Essa era uma das principais carências do bairro e sempre foi uma reivindicação recorrente desde o início da minha gestão. Esse espaço nos ajudará a dar um pouco mais de dignidade para essa parcela da popu-lação que é tão sofrida, tão necessitada e tão sem oportunidades”, destaca. 
 
O CTA Vila Mariana funciona 24 horas. As pessoas em situação de rua podem procurar o serviço de forma espontânea ou ser encaminhadas pelos Serviços de Abordagem Social (SEAS) da região. A comunidade também pode ajudar por meio de solicitação de abordagem junto ao serviço da Coordenadoria de Atendimento Permanente e de Emergência (CAPE), que deve ser acionado pela Central 156.
 
Benê adianta que a prefeitura regional está em processo de firmar novas parcerias para ampliar os trabalhos oferecidos pelo CTA. “A nossa ideia é que o local realize oficinas e cursos de capacitação aos seus usuários. A primeira novidade será a instalação, muito em breve, de uma biblioteca infantil na unidade. Ainda estamos fechando parcerias”.

Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2017