UMAS E OUTRAS
03/07/2017 - Edição 172 - Jun/2017
Zaqueu Fogaça

A dois passos do Paraíso

Em A Cidade e as Serras (1901), último romance do escritor português Eça de Queiroz, o narrador Zé Fernandes evoca a figura do amigo Jacinto — residente numa Paris do século XIX e considerada símbolo do progresso — para mostrar ao leitor que a vida no campo é superior à vida urbana. A rotina apressada das ruas, a frieza das relações, o anonimato, a urgência dos passos, a falsa felicidade e a cegueira coletiva da cidade são alguns fatos que ele expõe para comprovar a sua tese.

A rotina urbana descrita na obra se espelha, um século depois, na rotina atual da cidade de São Paulo. Torná-la mais afetiva para seus habitantes e valorizar as narrativas humanas que se cruzam pelo caminho são alguns dos objetivos de um projeto que nasceu aqui no bairro, a dois passos do Paraíso, na rua... Eça de Queiroz. O projeto se chama Por Onde Andei e foi criado pela moradora da rua Letícia Leda Sabino (28), que diz ter sido inspirada pela leitura de A Cidade e As Serras.
 
“A maioria das pessoas nem sabe que o nome dessa rua do bairro presta homenagem ao escritor. Esse projeto nasceu da aproximação entre cidade e literatura e foi a forma que busquei para provocar o olhar das pessoas, mostrar que as ruas estão carregadas de significados e significâncias. Para que realmente vejam e sintam os lugares por onde passam. A rua sempre muda, sempre surge um novo detalhe, uma fachada, os casarios... E essa riqueza de narrativas e detalhes passa invisível na correria do cotidiano. Há muita diversidade e precisamos valorizar essas narrativas humanas”, defende. 
 
O projeto é online e está nas plataformas Facebook, com mais de 45 mil seguidores, e no Instagram. É onde os visitantes têm acesso aos caminhos por onde Letícia passou expressos em quadrinhos e imagens ressaltando estéticas, como a diversidade de calçadas, os casarios, os obstáculos...  As imagens se completam com pequenos trechos de A Cidade e as Serras — “E se ao menos essa ilusão da Cidade tornasse mais feliz a totalidade dos seres que a mantém... Mas não!”, escritas que são o fio condutor da caminhada que o “visualizador” é convidado a percorrer. 
 
Os passos de Letícia para transformar o olhar urbano não são recentes e suas marcas vêm desde 2012, quando criou, ao lado de amigos, o projeto SampaPé, no qual é diretora. “Esse projeto promove caminhadas temáticas e debates sobre a construção de uma cidade mais humana”, conta. Por Onde Andei nasceu dois anos mais tarde, em 2014. 
 
Em A Cidade e As Serras, o personagem Zé Fernandes tenta mostrar aos seus leitores que a vida no campo é melhor do que a vida urbana. Hoje, aqui na Vila Mariana, Letícia quer mostrar aos seus seguidores que a vida urbana pode ser melhor do que ela é hoje.

Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2017