ATITUDE
27/03/2017 - Edição 169 - Mar/2017
Jean Massumi

Meu vizinho mendigo

Dizem alguns estudiosos que o ser humano, saudável emocionalmente, deve ser capaz de reconhecer expressões faciais. Emoções como raiva, medo, alegria e tristeza devem ser identificadas pelo simples olhar atento, dando condições para a manifestação de uma faculdade poderosa que nos une, seres da mesma espécie: a empatia.

Através da empatia, viabilizamos uma proeza: NOS COLOCAR NO LUGAR DO OUTRO, abrindo a porta de saída do egoísmo. É ela que nos permite chorar junto, dividir o fardo ou multiplicar as alegrias e nos ajuda a frear diante de impulsos de crueldade.
 
E pasmem, essa capacidade, como outra qualquer, PODE SER TREINADA. Quanto mais compartilharmos sentimentos e experiências, nos aproximando das pessoas, mais sensíveis e humanos nos tornamos. Humanos... IGUAIS. Conseguimos fazer ao outro aquilo que gostaríamos que nos fizessem, já que somos idênticos.
 
E o contrário também acontece. Quanto mais enfático às diferenças, desqualificando os atributos humanos do outro, mais longe da espécie estaremos. Até o ponto que alguém não passe de um “objeto andante”, sem importância alguma na minha escala de prioridades. Eu sequer o vejo diante de mim e é dele a responsabilidade de ser assim.
 
Alguns vão dizer: “E qual o problema disso? Estou apenas me protegendo...” 
 
Bom, é complicado dissertar sobre escolhas. Da minha parte, procuro sempre a reflexão e vejo que a segregação é um troço que só cresce se não tomarmos os devidos cuidados. Qualquer pessoa que conheça um pouco de história vai saber onde terminaram alguns casos de insensibilidade coletiva. O silêncio dos bons....
 
Até.
 
Jean Massumi é massoterapeuta
Rua Morgado de Mateus, 596.  Tel. 5908.0121    jmhara@uol.com.br

Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2019