ATITUDE
24/11/2014 - Edição 144 - Nov/2014
Jean Massumi

Se conselho fosse bom...

Meus amigos do Pedaço, vocês não imaginam os casos que aparecem aqui no consultório. Na condição de massoterapeuta, é muito comum lidar com pessoas “travadas” ou com muita dor. Pessoas que chegam tortas, mancando e gemendo. E um dado bizarro: muita gente chega com dores por conta de tratamentos mandrakes.

Eu sou um defensor dos tratamentos naturais e caseiros, inclusive divulgo vários deles aqui, nesta coluna. Mas, pelo amor de Deus, usem o bom senso. Estamos falando de algo que pode ter consequências muito sérias e que, por incrível que pareça, é comum. Separei três casos, que, espero, sirvam de alerta:
 
-Tratamentos milagrosos para perder celulite
Outro dia recebi mãe e filha aqui, no consultório, e a menina (tinha seus 15 anos) com muitas dores nas pernas. Quando examinei mais detalhadamente, a perna estava cheia de marcas roxas, vasinhos estourados, edema na parte posterior da coxa e muito sensível ao toque. Perguntei o que tinha acontecido, e ela me disse, com certa vergonha, que uma amiga havia passado um rolo de madeira junto com um creme X para tirar celulite. Não me contive e perguntei de novo: ”Mas pra que o rolo de madeira?”
”Ah... é pra fazer mais efeito” (!!!) Engraçado foi a mãe, logo depois: “E quando melhorar essa, vai piorar de novo com as palmadas que eu vou dar nela”... Lógico que indiquei um clínico e avisei a mãe dessa nova Lei da palmada.
 
-Adaptações caseiras de aparelhos usados em fisioterapia
Meus queridos, os aparelhos de fisioterapia são caros, pois utilizam tecnologia e componentes extremamente controlados. Voltagem e temperatura são medidas físicas que, além de causar danos à saúde, podem colocar fogo na casa.
 
-E, por fim, o campeão: estalar as costas!
Esse caso atendo um por semana. É disparado o mais frequente. Outro dia chegou aqui um rapaz todo bombado, parecia um touro. Logo imaginei algum mau jeito na academia ou algo do tipo. Mas ele prontamente esclareceu: ELE MESMO pediu para a namorada pisar nas costas dele, para “estalar as vértebras”. Na ausência do som (aquele crack que faz em algumas situações) ELE MESMO pediu para a namorada ficar pulando na região da coluna até estalar... Bom, estalou.. mas a dor foi tanta que ele não conseguia nem se levantar depois. Isso é muito perigoso. Eu já vi fratura de costela, algumas vezes por causa desse movimento. E até hoje não consigo entender o que as pessoas buscam dando esses trancos.
 
Meus amigos: nada mais, nada menos que BOM SENSO. 
Abração e parabéns para o jornal mais legal do Brasil!
 
Jean Massumi é massoterapeuta
Rua Morgado de Mateus, 596.  Tel. 5908.0121    jmhara@uol.com.br

 


Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2019