ATITUDE
- Edição 130 - Ago/2013
Anna Anita Tarasiewicz

Felicidade

EM BUSCA DA FELICIDADE - o grande segredo da vida

No nosso vocabulário, o termo felicidade tem significados múltiplos: ela corresponde a uma gama enorme de emoções ou sentimentos, que vai desde o contentamento ou satisfação, até alegria ou júbilo. A felicidade tem ainda o significado de bem estar ou paz interna.

A felicidade independe de se ter dinheiro ou não. Foi realizada uma pesquisa durante 40 anos numa universidade americana a esse respeito e em nenhum momento o aumento de renda resultou num aumento de satisfação ou felicidade dos entrevistados.

O “boom” pós-segunda guerra produziu um substancial aumento de riqueza no ocidente, entretanto foi possível constatar um aumento desproporcional de consumo de drogas lícitas, ilícitas e antidepressivos.

Em cinco anos a venda de antidepressivos no Brasil subiu 48%, causada pela prescrição exagerada desta “pílula da felicidade”.

A partir de 1980, os psicólogos e sociólogos, como o dr. Mihaly Csikszentmihalyi, o mais importante pesquisador da atualidade em psicologia positiva, começaram a questionar porque o aumento de nível de riqueza não implicava em aumento da felicidade e intensificaram pesquisas sobre o nível de felicidade.

De acordo com Stephen Kanitz, ser feliz é achar a distância certa entre o que se tem e o que se quer ter.

Se a distância entre os dois for excessiva, você ficará frustrado, ansioso, mal humorado e estressado.

Se a distância for mínima, você ficará tranquilo, calmo, mas logo ficará entediado e sem espaço para crescer.

Consequentemente, ao contrário da nossa intuição, percebemos que à medida que a distância entre seus sonhos e suas competências diminui pelo próprio sucesso, surge frustração e não felicidade.

Saber administrar a distância entre seus desejos e suas competências é o grande segredo da vida.

A felicidade é tão efêmera por ser um processo dinâmico e não um destino, um lugar, onde finalmente se chega para não fazer nada. Fazer nada no paraíso não traz felicidade, para ficarmos felizes devemos alcançar um objetivo que almejamos, entretanto esta felicidade gradativamente se dissolve depois de alcançada.

Felicidade não é um estado alcançável, um nirvana, mas uma dinâmica contínua.

É o fato de “chegar lá” e não de “estar lá” como muitos erroneamente pensam.

De acordo com o psicanalista Contardo Caligaris, ”A busca pela felicidade é grande fonte de infelicidade. Felicidade é hoje um produto de mercado ou, pelo menos, se tornou isso. Serve apenas para ajudar a vender uma serie de coisas que prometem nos fazer felizes”.

Todos nós temos limitações e devemos sonhar de acordo com elas.

Como ser mais feliz?

- Redimensionar suas aspirações e ambições para metas mais realistas.

- Delegue, abra mão de algumas atribuições, aprenda a dizer não.

- Seja ambicioso dentro de seus limites. Amplie seus sonhos quando puder, reduza suas ambições e expectativas quando as circunstâncias exigirem.

- Aprimore suas competências estudando, observando e aprendendo com os outros, todos os dias.

- Mantenha sempre uma meta a alcançar em todas as etapas da vida e você será mais feliz.

Anna Anita Tarasiewicz

Terapeuta de casal e família

Rua Dr.Neto de Araujo 320/ 806

Vila Mariana

5575-2152


Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2019